Segurança cibernética: como o xadrez virtual ajuda no aprendizado?

Os seres humanos sempre estiveram imersos em jogos por séculos, mas existem várias constantes: continuamos cometendo erros, subestimamos os oponentes e só podemos pensar em alguns movimentos à frente. Indiscutivelmente, a história da inteligência artificial do xadrez começou por volta do ano de 1948, devido ao pioneiro da computação Alan Turing, que escreveu as primeiras linhas de um algoritmo para refletir sobre torres e bispos. Qual a relação que este jogo educativo tem com a ciência e a tecnologia?

Graças à ciência e à tecnologia, agora sabemos que somos capazes de criar computadores que não possuem essas falhas e podem até ser inteligentes o suficiente para dominar a maioria dos jogos educacionais se você executar simulações suficientes porque, à medida que o poder de processamento de dados aumentou, as máquinas tornam-se competentes o suficiente para derrotar seus criadores em todas as funções para as quais foram programados.

O xadrez pode ser jogado em suas diferentes modalidades, presencialmente, em tabuleiros de plástico, com imãs, ou nos tradicionais de madeira; à sua versão virtual, criada a partir dos avanços da ciência e da tecnologia, com uma grande variedade de modalidades disponíveis e que podem ser utilizadas para o que são: jogos educativos. No entanto, há fatores a serem considerados quando se trata de jogos online, especialmente quando os jogadores são crianças.

Segurança é primordial

Ao entrar no mundo da Internet, você pode acessar sérios problemas de segurança, especialmente quando não usou esse meio antes. Para o xadrez, isso não é diferente, por isso vale a pena seguir algumas dicas de segurança cibernética que se aplicam comumente a enxadristas de todas as idades e são ainda mais úteis para quem está começando. Recomenda-se usar um nome falso em vez do verdadeiro, ocultar informações pessoais como onde mora, onde trabalha ou onde estuda e sempre manter as interações online em vez de concordar em se encontrar pessoalmente com um estranho. Além disso, é sempre recomendável que as crianças que jogam ou estão aprendendo a jogar xadrez online sejam supervisionadas pelos pais, principalmente evitando que seus filhos compartilhem mensagens e fotos pessoais com seus adversários de cada partida online. A vantagem é que alguns sites deste jogo oferecem recursos extras de segurança para crianças, como desabilitar chats. No entanto, lembre-se de que crianças sem supervisão podem descobrir como ignorar esses recursos e ainda usá-los.

Aprenda o básico

Depois de cuidar de sua própria segurança, o ideal é dominar as estratégias básicas para aprimorar suas habilidades e não se frustrar na tentativa, lembre-se que a prática leva à perfeição! A primeira coisa é aprender as técnicas de abertura e os movimentos de cada peça de xadrez, também técnicas para vencer, como o xeque-mate básico.

Um exemplo de xeque-mate básico no final do jogo é um rei e uma rainha contra outro rei. É importante saber fazer isso quando surgir a oportunidade, pois se você tem uma rainha pela frente, tem que saber vencer com essa vantagem.

As aberturas são fundamentais nos seus primeiros dez lances, incluindo opções como controlar o centro do tabuleiro, colocar cavalos e bispos em jogo, assim como o roque, ou seja, aquele lance defensivo e só lance em que a torre e o o rei muda de posição simultaneamente, para colocar o rei em um lugar mais seguro e a torre em um lugar mais ativo próximo ao centro do tabuleiro.Deve-se considerar que há muitas possibilidades de movimentos de abertura, e que eles terão que ser estudados para aprender quais executar em cada passo

Muitos jogos de xadrez online oferecem a oportunidade de resolver problemas táticos em que o jogador tem que aplicar seus conhecimentos e habilidades para alcançar a vitória em uma série de certos movimentos ou através de um movimento específico. Depois de resolver com sucesso o problema da tática, geralmente será oferecido um mais difícil de resolver.

Jogue “justo”

É comum descobrir que tem gente trapaceando em qualquer jogo, e o xadrez não é exceção, seja para ganhar uma partida, um torneio, ou para ganhar pontos para ranquear, ou seja, medir seu nível de habilidade em relação a outros jogadoras. Às vezes, eles trapaceiam mesmo quando não há prêmios no jogo, simplesmente tentando aumentar suas classificações em relação aos outros.

Muitas vezes, a equipe que coordena o jogo e sua competição leal, impõe sanções aos jogadores que trapaceiam, colocando mecanismos de detecção de trapaças a fim de penalizar as contas desses usuários, seja por pontos de competição ou até mesmo proibir o acesso a ela.

Em vez de definir o sucesso como a porcentagem pela qual uma criança ganha ou perde jogos, concentre-se no tempo gasto em cada lance do jogo. É melhor parabenizar as crianças por tomarem a quantidade certa de tempo em cada mudança de posição e assim redefinir o sucesso no xadrez como a forma de pensar, ao invés de ser uma busca direta de apenas ganhar para torná-lo um sucesso. .

Os jogos são projetados para serem competitivos para humanos, levam tempo para serem dominados e geralmente representam um aspecto do mundo real. Por isso, os jogos de xadrez são a plataforma ideal para desenvolver e testar ideias de algoritmos de inteligência artificial e são muito eficientes em seu comportamento, pois com o avanço da tecnologia, mais milhares de algoritmos foram executados no computador. e muitas vezes mais rápido que o tempo real, gerando informações de treinamento suficientes que o sistema precisa aprender. Você se atreveria a jogar virtualmente ou prefere apenas o modo cara a cara?


.

Deixe um comentário

Observe que os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados