Aventuras de Martin, o cientista (V) A força do ônibus

Uma segunda-feira, quando Martin voltou da escola no ônibus, notou algo em que nunca havia prestado atenção antes.

— Como foi seu dia, filho? perguntou a mãe dela.

— Ok, mas há algo que eu não entendo. Hoje ele estava no ônibus quase dormindo em um assento, e de repente ele freou. Do impulso quase acabei sentando no chão! — exclamou o menino.

Sua mãe olhou para ele preocupada.

— Você está bem? Você se machucou?

— Estou bem, mas as pessoas que estavam de pé acabaram todas pressionadas contra o motorista — disse Martín.

— E qual é a sua pergunta? perguntou a mãe dela.

— Não consigo descobrir por que isso aconteceu.

— Isso é por causa da lei da inércia! — disse a mãe de Martin.

— A lei da inércia? ele perguntou.

— Para alterar a velocidade de um objeto, você precisa aplicar uma força a ele. Um objeto que está em repouso ou parado permanecerá assim a menos que apliquemos uma força a ele. Por outro lado, se estiver se movendo, continuará se movendo, a menos que apliquemos outra força a ele — explicou a mãe.

— Mas eu ainda estava, por que eu segui em frente? Martin perguntou confuso.

— Mas você não estava descansando — ela disse.

— Sim, eu disse que estava quase dormindo — repetiu Martín.

— Pode ser, mas você estava dentro de um ônibus em movimento. A força que fez você parar foi a mesma força que fez você se mover.

— E o que acontece se houver um objeto em movimento e não houver força para pará-lo? Martin perguntou.

— Então continuará a uma velocidade constante.


Deixe um comentário

Observe que os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados